Implementação das faixas BUS+BICI – resposta ao ver. Nunes da Silva

Após intensa discussão na lista de correio electrónico da MUBi, acordou-se no texto de uma tomada de posição relativa às faixas BUS+BICI. Assim, enviou-se a seguinte mensagem ao ver. Nunes da Silva:

A MUBi quer, em primeiro lugar, agradecer ao Sr. Ver. Nunes da Silva a disponibilidade demonstrada ao receber os representantes da MUBi para uma conversa aberta sobre a implementação deste projecto. Uma vez que este foi escolhido no âmbito do Orçamento Participativo, faz todo o sentido que os proponentes, votantes e interessados tenham oportunidade para participar na sua implementação. Esta atitude dialogante é certamente de saudar.

Durante esse diálogo, o Sr. Vereador apresentou as linhas de desenvolvimento do projecto, que tivemos oportunidade de questionar e discutir. Depois de uma discussão mais alargada, junto da comunidade participante na MUBi, gostaríamos agora de partilhar mais formalmente com a equipa camarária as seguintes conclusões:

  • Consideramos desadequada a localização proposta, a Av. da Liberdade, pois tem nas suas imediações vias mais propícias à circulação de bicicletas: justamente as laterais da mesma avenida, onde o trânsito se processa com menor velocidade;
  • Gostaríamos de alertar que uma escolha desadequada para teste destas vias poderá tornar inconclusiva a viabilidade do projecto, e por isso achamos que a mesma deverá ser ponderada;
  • Compreendemos que a escolha da localização de teste deva ser consertada com a Carris, mas deve ao mesmo tempo ser consertada com os utilizadores de bicicleta e de certeza que se poderá chegar a um entendimento comum numa outra artéria mais adequada.
  • A artéria que consideramos mais adequada para este projecto piloto é a Av. Fontes Pereira de Melo, sobretudo no sentido ascendente e gostaríamos que o teste a esta solução seja estendido a esta artéria, conforme sugerido na reunião.

Adicionalmente, gostaríamos que fosse esclarecido o destino dos 700 000€, pois consideramos desproporcional este valor, se o mesmo se destinar apenas para esta localização.

Agradecendo de novo a disponibilidade para o diálogo, deixamos os nossos melhores cumprimentos e garantia de total disponibilidade para novas e continuadas colaborações.

2 responses to “Implementação das faixas BUS+BICI – resposta ao ver. Nunes da Silva

  1. Concordo. A proposta das faixas bus da Av. da Liberdade ilustra bem a filosofia reinante no planeamento urbano: mostrar obra feita é mais importante do que as soluções propriamente ditas.

    Apoio a experiência da Fontes Pereira de Melo, apesar de achar que as bicicletas pertencem à rua e não exclusivamente à faixa bus.

    Bom trabalho!

  2. Caros, eu gosto de bicicletas e gosto de andar de bicicleta, não dispenso em fins de semana de sola a minha bela bicicletada com amigos, mas tenho algo a dizer sobre a pretença de alterar o código da estrada relatiamente à “presunção de culpa” que o vosso movimento defende:

    Contudo os fanatismos sempre me deram uma certa…digamos comichão a que chamo nervo. Terça feira estava a deslocar me à baixa de carro e encontrava-me na “rua do hipopotamo” (não sei o nome verdadeiro da rua) que cruza com o acesso ao marquês do pombal no sinal vermelho.

    Quando o sinal abre ( o meu sinal), vem um fininho na sua bicicleta pasteleira, estilo executivo ( só para referir que não era nenhum delinquente montado numa bmx ou confersil), que para além de passar quando o sinal dele ficou vermelho mete-se a trocar de faixas sem sequer dar sinal com a mão e mais sem sequer olhar para ninguem, apenas a olhar em frente.

    Chegamos à rotunda do marques e o fulano faz o mesmo, muda de faixas em plena rotunda do marquês rente aos carros e apenas olha em frente com cara de arrogante…
    Agora venham me cá com conversas de presunção de culpa que o condutor do automovel se dá uma sapa num anormal destes que nem sinalisa ir mudar de faixa, é culpado por natureza, sem sequer se averiguar quem tem culpa??? Acham bem?

    PALHAÇADA! É uma palhaçada ao nível dos anti touradas…

    Amiguinhos não é apelidando os condutores de automóvel de estupidos ou criminosos que se cresce a mentalidade da bicicletada, é educando quer os automobilistas quer os CICLISTAS, como aquele anormal armando em snob que se cruzou cmg na terça feira!

    Todos temos de mudar, todos não é so a outra facção.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s